Vinhos de Reguengos de Monsaraz

Vinhos do Alentejo

Reguengos é a maior das sub-regiões vitivinícolas do Alentejo, "assente em terrenos pobres e pedregosos, repleta de afloramentos rochosos que marcam de forma dramática a paisagem de Reguengos" (CVRA).
Os Vinhos de Reguengos de Monsaraz, são produzidos a partir de vinhas que espalham neste terroir que nos proporciona vinhos "encorpados e poderosos, com boa capacidade de envelhecimento" (idem).
Reguengos de Monsaraz é o primeiro produtor de vinhos DOP do distrito de Évora e o quinto produtor de vinhos IGP Alentejano. Do total produzido, 80,37% são vinhos tintos.


Guia Vinhos de Portugal
Vinhas em Reguengos de Monsaraz (detalhe), Alentejo © / Ilustração



Localização

O concelho (município) de Reguengos de Monsaraz limita-se ao norte (e nordeste) com Alandroal, ao leste com Mourão, ao sudeste (e ao sul) com Moura, ao sul e ao sudoeste (e oeste) com Portel, ao oeste com Évora e ao noroeste com Redondo.

Saber mais sobre Reguengos de Monsaraz


Terra de muito e de bom vinho

Reguengos de Monsaraz tem o privilégio de ser o maior produtor de vinhos do Alentejo e de ser o maior produtor de Vinhos DOP. São vinhos majoritariamente tintos, de excelente qualidade e que conquistam o palato de quem os degusta.


Uma cultura antiga

A cultura da vinha no Alentejo perde-se na noite dos tempos, antes mesmo da invasão Romana. Entretanto, fato é que foram os Romanos os que mais deixaram suas marcas até os dias de hoje na cultura da vinha nesta região. As técnicas que estes utilizavam, como a "técnica de fermentação em grandes âmforas de argila" (CRVA) ainda são visíveis no Alentejo, mais do que em qualquer outro lugar. Esta técnica ainda é utilizada hoje em dia no Alentejo.


Muita história

A invasão muçulmana paralisou o progresso das vinhas na região durante quase cinco séculos, do século 8 ao século 13. Contudo, após a Reconquista Cristã, a cultura da vinha voltou a florescer. No século 16, "a vinha floresceu como nunca no Alentejo, com os famosos vinhos Peramanca de Évora, os vinhos brancos de Beja, de Alvito, de Viana do Alentejo e de Vila de Frades" (CRVA). No século 17, os vinhos do Alentejo eram considerados os melhores de Portugal, junto com os da Extremadura. Após o período áureo do século 19, nova descida nesta curva de avanços da cultura da vinha no Alentejo. A vinha foi perdendo terreno e durante boa parte do século 20, deu lugar ao trigo como cultura importante.

Enfim, em 1989, "a aprovação da criação da CVRA (Comissão Vitivinícola Regional do Alentejo) assegurou a certificação e regulamentação dos vinhos do Alentejo" (CVRA).


Denominações de Origem Controladas

Foram criadas e regulamentadas sub-regiões com DOC, a saber:
  1. Portalegre
  2. Borba
  3. Redondo
  4. Reguengos de Monsaraz
  5. Évora
  6. Vidigueira
  7. Granja-Amareleja
  8. Moura


Variedade de castas

Para a produção do Vinho do Alentejo são utilizadas várias castas nacionais, além de castas provenientes de outros países (Cabernet Sauvignon, por exemplo).


Vinho Alentejano e Alentejo DOC

Além do conhecido Vinho do Alentejo DOC, a IGP (Indicação Geográfica Protegida) Vinho Alentejano tem ganhado muito espaço tanto em termos de produção quanto de consumo, sendo atualmente um dos vinhos engarrafados mais consumidos do país.


Guia Vinhos de Portugal
Vinhos do Alentejo © / Ilustração



Sub-Regiões dos Vinhos do Alentejo

Os Vinhos do Alentejo são provenientes das seguintes oito sub-regiões vinícolas, cont...


Segunda maior cidade do distrito de Évora, Reguengos de Monsaraz foi a Cidade Européia do Vinho em 2015. Excelente lugar para escapadas e fim de semana.


Vinhedos de Reguengos de Monsaraz

Reguengos de Monsaraz, município (concelho) de Évora, é a mais recente história de sucesso dos vinhos portugueses. Em 2015, foi eleita cidade Cidade Europeia do Vinho. Com a maior área de vinhas para a produção de vinhos tintos (3.165,88 ha) da região, quase um terço da área total (28,52%), Reguengos de Monsaraz nos reserva agradáveis surpresas. Para os brancos, a área é de 710,70 ha (a segunda maior, atrás de Borba).