Azeite de Trás-os-Montes

A culrua da oliveira é uma paixão

Azeites com caráter
A oliveira existe em Portugal desde tempos remotos. Em Trás-os-Montes, considerado o segundo maior olival português, a atividade agrícola ligada ao fabrico do azeite data de vários séculos. "O consumo de azeite em Trás-os-Montes remota à Antiguidade. A plantação de olivais em Mirandela deve datar da primeira metade do século XVI. Em 1894 a produção chegou aos 776 quilolitros e em 1896 já existiam 12 lagares de azeite, na vila de Mirandela. Em 1903 o azeite desta região ganhou a medalha de prata na Exposição Agrícola" [1].

Primeiro fato relevante referente a esta atividade é que, em Trás-os-Montes, mais de 50% das azeitonas colhidas destinam-se ao consumo como azeitonas de mesa, seguido pelo Alentejo e pela Beira Interior.


Azeite de Trás-os-Montes DOP

O Azeite de Trás-os-Montes DOP é um "azeite virgem extra e azeite virgem produzido a partir das variedades de azeitona Verdeal transmontana, Madural, Cobrançosa, Cordovil e outras" [idem].


Um Azeite com Caráter

Principais características do Azeite de Trás-os-Montes DOP: "O azeite de Trás-os-Montes é um azeite equilibrado, com cheiro e sabor a fruto fresco, por vezes amendoado e, com uma sensação notável de doce, verde, amargo e picante, características que o fazem distinguir dos demais azeites do país" [idem].


Guia Azeites de Portugal
Azeites de Portugal © / Ilustração



Oliveira, uma árvore sagrada

A atividade agrícola ligada ao cultivo da oliveira, em Trás-os-Montes, reveste um caráter muito especial. É fato que os "olivicultores de Trás-os-Montes têm estado entre os que mais têm cuidado do cultivo da oliveira e da apanha manual da azeitona nas melhores condições possíveis. Na "Terra Quente" de Trás-os-Montes, pelo seu rendimento, a oliveira é ainda hoje considerada uma árvore sagrada" [idem].


Concelhos produtores

São os seguintes os municípios (concelhos) produtores de azeite em Trás-os-Montes: "Mirandela, Vila Flor, Alfândega da Fé, Macedo de Cavaleiros, Vila Nova de Foz Côa, Carrazeda de Ansiães e algumas freguesias dos concelhos de Valpaços, de Murça, de Moncorvo, do Mogadouro, de Vimioso e de Bragança" [ibidem].

O município (concelho) de Mirandela, terra da mais famosa alheira, tem os mais importantes olivais de Trás-os-Montes, os quais ocupam 8932 ha (quase 35% das terras agrícolas do concelho). Variedades de oliveiras de Mirandela: Verdeal Transmontana (40%), Cobrançosa (30%), Cordovil (13%) e Madural (10%). Os 7% restantes são de outras variedades. Em Mirandela 60% dos olivais estão alinhados [2].


Azeite na Cozinha

O azeite sempre foi utilizado na alimentação e considerado um produto essencial na cozinha, substituindo a manteiga, como fonte de gordura na elaboração dos pratos.


Azeite e Gastronomia

Na cozinha e na gastronomia, o uso do azeite sempre foi corrente no Mediterrâneo e seus hábitos alimentares. No Alentejo comer azeitonas é algo bastante comum. Sendo muito antiga a tradição de comer azeitonas em pão depois de temperadas essencialmente com sal e orégano.


Olivais tradicionais

As oliveiras que formam os olivais tradicionais são utilizadas na produção dos famosos e saborosos azeites alentejanos. São quatro as variedades de azeitonas cultivadas no Alentejo: Galega, Cobrançosa, Cordovil de Serpa e Verdeal Alentejana.




Olivais intensivos

Além dos vastos olivais tradicionais, novas plantações surgiram, visando maior produtividade por hectare: os olivais intensivos (285 a 415 árvores por hectare) e os olivais superintensivos (900 a 1200 árvores por hectare) [4].


Portugal 4° Exportador mundial

Portugal é o sétimo produtor mundial e o quarto produtor da União Europeia (atrás da Espanha 78%), Itália e Grécia, que, juntos, produzem 97% do total da Europa - e 75% da produção mundial). Portugal é o quarto maior exportador mundial de azeite, sendo o Brasil seu principal cliente. Outro fato importante: o azeite de oliva é o principal produto de Portugal exportado para o Brasil.

A nível mundial, com produção da ordem de 100 mil toneladas, Portugal ainda vem atrás de Marrocos (200 mil toneladas), Turquia (183 mil toneladas) e Tunísia (120 mil toneladas) .


Alentejo produz 70% do azeite em Portugal

Em Portugal, os olivais ocupam uma área de 340.000 ha, sendo a quarta maior da União Europeia. Sozinho, o Alentejo produz 70% do azeite português, à frente do Norte e do Centro. No Alentejo, os olivais ocupam 9% das terras agrícolas. Entretanto, no plano nacional, 50% dos olivais portugueses se encontram no Alentejo, 20% no Norte e 18% no Centro do país.