Azeites de Portugal

Azeites de Qualidade Superior

Várias Denominações de Origem Controladas
A oliveira existe em Portugal desde tempos remotos. É uma cultura milenar. No Alentejo, considerado o berço dos olivais portugueses, a atividade agrícola ligada ao fabrico do azeite é igualmente antiquíssima. O uso do azeite na alimentação, muito comum na Bacia do Mediterrâneo, também perde-se na noite dos tempos.

Para nós, o azeite passou de Atenas para Roma e de Roma disseminou-se pela Europa Ocidental e Península Ibérica. A cozinha do Mediterrâneo já corrobora seu uso desde a Antiguidade grega.


Península Ibérica: solos ideais

As oliveiras encontraram na Península Ibérica os solos e o clima ideais. Na atualidade, a Espanha sozinha produz quase 80% de todo o azeite da União Europeia! Nada menos que mais de 70% da produção mundial... E, junto com a Itália e a Grécia, 97% da produção da União Europeia. Sobra pouco para os outros sete produtores mundiais que são Marrocos, Turquia e Tunísia. O sétimo produtor mundial é justamente Portugal, com pouco mais de 100.000 litros. De acordo com os últimos números divulgados, o recorde da última campanha deverá levar este número para 120.000 L, mas mesmo assim ainda deverá ficar atrás da Tunísia.


Alentejo, um imenso olival

Em Portugal, os maiores olivais estão no Alentejo, o qual concentra mais de 50% dos olivais portugueses - e mais de 70% da produção de azeite. Na imensa planície alentejana, a oliveira é uma árvore tradicional, assim como a azinheira e o sobreiro, outro ícone de Portugal e do Alentejo (Portugal é o primeiro produtor e exportador de cortiça do mundo).


Guia Azeites de Portugal
Azeites de Portugal © / Ilustração



Azeites do Alentejo

DOP Azeites do Alentejo

A presença da oliveira, árvore que se destaca na paisagem tradicional alentejana, entre os sobreiros e as azinheiras, data de muitos séculos nas terras do Alentejo. A este respeito, o Alentejo é considerado o berço do azeite de oliva em Portugal [4].

Sete Azeites DOP

A criação dos Azeites DOP data dos anos 1990 em Portugal. Existem 7 denominações de Azeites de Origem Protegidas, três se encontram no Alentejo (Azeite de Moura DOP, Azeite do Norte Alentejano DOP e Azeite do Alentejo Interior DOP). Duas nas Beiras (DOP Beira Alta e DOP Beira Baixa). As outras são DOP Trás-os-Montes e DOP Ribatejo. O concelho (município) de Moura (469 produtores, 14.701 ha, 1.753.600 litros produzidos), no Baixo Alentejo, é o principal produtor de Portugal, seguido de Trás-os-Montes, o segundo em tudo: 419 produtores, 3.586 ha, 684.498 litros produzidos.


Azeite na Cozinha

O azeite sempre foi utilizado na alimentação e considerado um produto essencial na cozinha, substituindo a manteiga, como fonte de gordura na elaboração dos pratos.


Azeite e Gastronomia

Na cozinha e na gastronomia, o uso do azeite sempre foi corrente no Mediterrâneo e seus hábitos alimentares. No Alentejo comer azeitonas é algo bastante comum. Sendo muito antiga a tradição de comer azeitonas em pão depois de temperadas essencialmente com sal e orégano.


Azeite e Literatura

Desde sempre escreveu-se sobre o azeite. Em Portugal, o grande escritor Alexandre Herculano, que do mundo da literatura e da ciência passou para o mundo do azeite, na sua Quinta Vale de Lobos, em Santarém, inspirou outro escritor, Jorge Custódio, autor da obra O Lagar e o azeite Herculano. E muitos outros, como Edgardo Pacheco, autor do livro "Os 100 Melhores Azeites de Portugal".


Produção e Distribuição

Se há muitos produtores de azeite em Portugal, o fato é que tanto a produção quanto a distribuição estão concentradas em algumas grande empresas, que são a Victor Guedes (Gallo), de Abrantes, Santarém, no Ribatejo, e Oliveira da Serra, de Ferreira do Alentejo, no Alentejo, a Sovena (Oeiras) e a CAMB (Cooperativa Agrícola de Moura Barrancos), de Moura, no Alentejo. As duas primeiras chegam a controlar 60-65% do mercado consumidor em Portugal [2].





Olivais tradicionais

As oliveiras que formam os olivais tradicionais são utilizadas na produção dos famosos e saborosos azeites alentejanos. São quatro as variedades de azeitonas cultivadas no Alentejo: Galega, Cobrançosa, Cordovil de Serpa e Verdeal Alentejana.


Olivais intensivos

Além dos vastos olivais tradicionais, novas plantações surgiram, visando maior produtividade por hectare: os olivais intensivos (285 a 415 árvores por hectare) e os olivais superintensivos (900 a 1200 árvores por hectare) [4].


Portugal 4° Exportador mundial

Portugal é o sétimo produtor mundial e o quarto produtor da União Europeia (atrás da Espanha 78%), Itália e Grécia, que, juntos, produzem 97% do total da Europa - e 75% da produção mundial). Portugal é o quarto maior exportador mundial de azeite, sendo o Brasil seu principal cliente. Outro fato importante: o azeite de oliva é o principal produto de Portugal exportado para o Brasil.

A nível mundial, com produção da ordem de 100 mil toneladas, Portugal ainda vem atrás de Marrocos (200 mil toneladas), Turquia (183 mil toneladas) e Tunísia (120 mil toneladas) .


Alentejo produz 70% do azeite em Portugal

Em Portugal, os olivais ocupam uma área de 340.000 ha, sendo a quarta maior da União Europeia. Sozinho, o Alentejo produz 70% do azeite português, à frente do Norte e do Centro. No Alentejo, os olivais ocupam 9% das terras agrícolas. Entretanto, no plano nacional, 50% dos olivais portugueses se encontram no Alentejo, 20% no Norte e 18% no Centro do país.